BIOGEOGRAFIA DE MOÇAMBIQUE

Vegetação
Em Moçambique, a vegetação natural é constituída por diferentes tipos de formações vegetais, que resultam de grandes diferenças de latitude, longitude, geologia, clima e de outros factores que caracterizam o aspecto físico do território nacional. A localização geográfica de Moçambique no continente africano confere-lhe 3 das 20 principais regiões fitogeográficas sendo as seguintes:

I. Centro Regional do Endemismo Zambeziano.
II. Mosaico Regional Zanzibar – Inhambane
III. Mosaico Regional Tongoland – Pondoland

Centro regional do Endemismo Zambeziano

Região Zambeziana

Na região Norte, ela ocupa toda a parte planáltica e montanhosa , particularmente nas províncias do Niassa e Nampula.

Na região Central, para além de atingir o litoral entre Angoche e o rio Raraga (na província da Zambézia), ocupa uma boa parte das províncias de Sofala e Manica e a totalidade da provínciade Tete.

Na região Sul, ocupa cerca de dois terços da região, com particular destaque para as áreas localizadas no interior das províncias de Inhambane e Gaza. Conhecem-se nesta região cerca de 8.500 espécies de flora das quais 54% são endémicas. As formações típicas desta região compreendem:

Floresta Aberta de Miombo, onde ocorrem os seguintes subtipos: miombo semi-decíduo, miombo semi-decíduo de alta pluviosidade, miombo decíduo tardio, miombo decíduo, miombo decíduo seco e floresta aberta de folha larga do Sul.

Encontram-se normalmente associadas a solos bem drenados, ácidos bem lavados. A maior parte desta formação vegetal é do tipo semi-decíduo, havendo, todavia, ocorrência de miombo totalmente decíduo nas regiões mais áridas.

Savanas de Mopane
Savanas arbóreas e arbustivas

Onde dominam savanas da acácias, savanas de embondeiros, savanas de Mopane, savanas de palmeiras em terras pantanosas e savanas dos Libombos.

Savanas herbáceas e arbóreas

Constituídas por pradarias e savanas de aluvião, pradarias em terras salgadas e pastagens de montanha e planalto. É o tipo de formação vegetal mais extensa e representativa dos vales dos principais rios.

Mata Indiferenciada

Ocorre a Norte do rio Limpopo. Distingue-se facilmente das formações anteriores pela ausência de Mapone e Miombo. Distribui-se por grande variedade de solos, possuindo uma enorme riqueza florística.

Floresta de Montanha

Localiza-se sobretudo nas regiões acima de 1300m de altitude, isto é, nas regiões montanhosas da alta Zambézia (montes Namúli), na parte Ocidental da província de Manica (Maciço de Chimanimani), e no Sul em certas zonas na cadeia dos montes Libombos.

Mosaico regional de Zanzibar – Inhambane

Na região Norte distribui-se ao longo dos vales dos principais rios, como sejam do Rovuma, do Lugenda, do Messalo e do Lúrio. Estende-se igualmente ao longo de todo o litoral desde a foz do rio Rovuma, tendo o seu limite a Sul perto de Angoche. Esta faixa longitudinal, apresenta larguras que variam desde os 80 aos 160 km.

Após uma interrupção de cerca de 160 km em direcção ao Sul, ela reaparece na Região Central, partindo aproximadamente do rio Raraga. Deste ponto, descai numa larga faixa acompanhando o traçado da linha de costa até ao paralelo de 19º S, a partir do qual se estreita em direcção ao rio Save.

A Sul deste rio ela volta a alargar-se e desce até às proximidades do rio Limpopo onde tem o seu limite final
É constituído por cerca de 3000 espécies, não havendo ocorrência de famílias endémicas. Há florestas fechadas e abertas com ocorrências de acácias e vegetação típica das dunas, os graminais aparecem em mosaico com outros tipos de vegetação, havendo ocorrência de brenhas.


Brenhas

Existem vários tipos de brenhas, variando de acordo com sua composição florística. Esta, varia consoante a sua localização. As mais importantes desenvolvem-se nos morros de muchém (montes termiteiras), outras em afloramentos rochosos e de uma maneira geral ao longo da faixa costeira (nas dunas). Nas brenhas localizadas nos morros de muchém, as espécies dominantes que ocorrem são as variantes de acácias.

Pradarias (Gramíneas)

De uma maneira geral, as pradarias distribuem-se por solos aluvionares de textura média fina, em zonas sujeitas a inundações. Assim, este estrato graminoso pode ocorrer associado a depressões suaves no terreno, pouco profundas e temporariamente alagáveis, nas planícies de inundação dos rios ou outros tipos de vegetação, em particular, savanas, em que o estrato graminoso cobre uma vasta área associada a espécies lenhosas.

Mosaico regional Tongoland – Pondoland

Estende-se ao longo da costa, desde o rio Limpopo até a Ponta de Ouro, fazendo fronteira e prolongando-se pelo território Sul Africano. O seu traçado acompanha o da linha de costa, numa largura que varia de 35 a cerca de 90 km.

É caracterizada por uma vegetação florista pouco variada, com agravante de a acção humana ter reduzido substancialmente a já pobre vegetação natural.

Ele é constituído basicamente por florestas abertas ou fechadas, ocorrendo também gramíneas em tufas , com 1 a 1,5 m de altura.

Há igualmente ocorrência de brenhas e gramíneas com alguma diferenciação quanto à sua composição florística e particular destaque para a presença de mata de acácias.
Matas de acácias, o corre sobretudo, junto à fronteira com a Suazilândia e África do Sul, onde a precipitação média anual varia de 600 a 1000mm. Este tipo de vegetação é típico do mosaico Tongoland – Pondoland. As espécies dominantes nesta formação vegetal, são as variantes de acácias.

Para além das formações vegetais atrás referidas, ocorrem outras que possuem particularidades fito geográficas dignas de menção no nosso estudo, assim como:

a) Floresta – é uma formação que se distribui quase por todo o país podendo apresentar algumas variações. No nosso país ocorre essencialmente dois tipos de florestas: floresta semi-verde (seca) e a de folha caduca ou decíduo (seca).

b) Floresta galeria – ocorre localmente nas zonas de solos húmidos das margens dos cursos de água permanente (rios). É constituída por árvores de médio e grande porte;

c) Mangal – é uma formação arbórea ou arbustiva sempre verde. Ocupa os estuários de água salgada e de certas reentrâncias da costa, onde as águas são calmas;

d) Formações Psamofíticas Costeiras – são constituídas por vegetação arbustiva ou arbórea baixa, densa, de porte sensivelmente uniforme devido à influência do vento.

Fauna

Sob ponto de vista zoogeográfico, Moçambique pertence à região etiópica abrangendo áreas das sub-regiões austral e oriental de África, onde encontramos uma rica e diversificada fauna com milhares de espécies de diferentes grupos zoológicos.

As espécies mamíferas mais abundantes no nosso país são: búfalo, cocone, chango, elefante, facocero, hipopótamo, impala, macaco – cão, nhacoso, oribi, zebra, cabrito cinzento, civeta, elande, gondonga, kudu, leão, mangul, nyala, palapala, porco do mato, simango, girafa, cabrito chengane, chacal, serval, sitatunga, chita, etc.

Outras espécies não mamíferas abundantes são: crocodilo, avestruz, dungongo, tartaruga marinha, para além de uma enorme variedade de aves.

Neste momento estão em exploração nosso país 5 parques nacionais, 6 reservas e 12 coutadas:

Parques Nacionais

Parques Nacionais  de Moçambique

Reservas Nacionais

Reservas Nacionais de Moçambique

Coutadas

VEJA : Importância da Conservação e Protecção das Florestas

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*