A PAZ DE WILSON

No início de 1918, falando ao congresso dos Estados Unidos, o presidente Woodn Wilson lançou a ideia de uma “ paz sem vencedores”, baseada num programa de 14 pontos, dos quais os mais importantes eram: a guerra terminaria sem vencedores; princípio de autodeterminação dos povos; fundação da liga das Nações com poderes para arbitrar os conflitos internacionais.

Nos vários países, inclusive na Alemanha, o plano do presidente norte americano que continha dentro de si muita esperança foi bem recebido. A crise provocada pelas sucessivas derrotas alemãs na guerra, provocava uma intensa repulsa popular e como consequência, multiplicaram-se as greves e os movimentos pelo fim da guerra, liderados principalmente pelos partidos socialistas. Em Novembro de 1918, como corolário desse descontentamento, o Kaiser Guilherme II e o Império foram derrubados e foi proclamada a República, e o novo governo pediu a paz aos aliados na esperança de ver cumpridos os 14 pontos de Wilson, porém, as grandes potências imperialistas europeias desejosas de colher dividendos da guerra ora terminada, não aceitaram a sua aplicação, tendo delineado de paris o mecanismo de rendição alemã  assinada em Versa lhes dias depois.

A Conferência de  paz

Terminada a Primeira Guerra Mundial, os governantes das nações vencedoras reúnem-se em paris em Janeiro de 1919 para elaborar tratados que garantissem uma paz justa e duradoura. Os países vencidos não são convidados a tomar parte na conferência  de Paris, senão depois de os acordos de paz estarem redigidos.

Os debates basearam-se numa proposta do presidente americano Wilson, “os quatorze pontos” (programa de paz que tinha servido aos beligerantes para concluir o armistício da grande guerra). Esse texto defendia dois grandes princípios de orientação para as negociações:

  • A criação de um organismo internacional capaz de proteger a independência e a integridade de cada país ( o que vai dar origem à fundação da Sociedade das Nações);
  • O direito dos povos à autodeterminação

Estes princípios chocavam, no entanto, a realidade do pós-guerra:

  • Os Aliados, e em particular a França, reclamavam uma garantia de aliança em caso de agressão alemã;
  • A multiplicidade de povos na Europa Central e Oriental tornava difícil definir o espaço de cada nacionalidade.

Desta forma, a conferência de paz decorreu num ambiente de intensas e longas discussões. As principais decisões foram tomadas pelo “ conselho dos quatro” – Estados Unidos, Inglaterra, França e Itália -, representados respectivamente por Wilson, Lioyd George, Clemenceau e Orlando.
O primeiro e principal tratado – o de Versalhes – é assinado, sem prévia discussão, pela delegação alemão a 28 de Junho de 1919. os alemães aceitam-no como um tratado imposto pela força, em virtude de não terem participado nas negociações.
Quais as disposições de acordo de paz com a Alemanha?

“Art.º 45º – Em compensação da destruição das minas de carvão no Norte da França , a Alemanha cede à França a propriedade inteira e absoluta das minas de carvão situadas na bacia de Sarre. (…) Art.º 49º – A Alemanha renuncia ao governo do território do Sarre. Ao fim dum prazo de 15 anos, a população do dito território será chamada a fazer conhecer a soberania sob que desejará ver-se colocada. (…) Art.º 80º – A Alemanha reconhece e respeitará estritamente a independência da Áustria. (…) Art.º 87º – Alemanha reconhece a completa independência da Polónia. (…) Art.º 102º – A cidade de Dantznig é declarada livre e colocada sobre protecção da Sociedade das Nações. (…) Art.º 119º – A Alemanha renuncia a favor das principais potências aliadas e associadas (Estados Unidos, Inglaterra, França, Itália e Japão), a todos os seus direitos e títulos sobre as suas possessões de além-mar. (…)Art.º 160º – o exército alemão não deverá compreender mais de 7 divisões de infantaria e 3 de cavalaria. (…) Art.º 434º – A Alemanha obriga-se a reconhecer o pleno valor dos tratados de paz que serão concluídos com as potências que combateram ao lado da Alemanha e a reconhecer os novos Estados com as fronteiras que lhes forem fixadas.”

O tratado de Versalhes (adaptado) in O. Voliliard e outros, “ Documentos de História – 1851 – 1971”

Como verificas, o tratado de Versalhes visava três grandes objectivos:

  • Reduzir a força militar alemã,
  • Regulamentar as  questões territoriais (restituição da Alsácia – Lorena à França, entrega à Polónia dos territórios prussinaos junto ao Báltico e renúncia a todas as colónias),
  • Definir os aspectos financeiros da paz (pagamento de elevadas indemnizações aos aliados).

Ao tratado de Versalhes seguem-se os acordos de paz com as restantes nações vencidas: o de Sain Germain com a Áustria (Setembro de 1919) e o de Trianon coma Hungria (Junho de 1920) – que desmembram o império austro – húngaro -, o de Neuilly com a Bulgária (Novembro de 1919) e e o Sévres com a Turquia (Agosto de 1920) que põe fim ao império Otomano.

A conferência de Paris termina (após a assinatura dos tratados) sem agradar aos vencedores nem aos vencidos. Estes consideram que os acordos lhes tinham sido impostos e não negociados, enquanto os vencedores duvidam da sua eficácia. Nessa altura, um diplomata francês afirma: “Eis a paz  assinada. Dá-me a impressão de ser um depósito de explosivos que há-de rebentar, mais tarde ou mais cedo, em todas as partes do mundo.” Alguns anos depois, as suas previsões vão confirmar-se totalmente.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*