A criação da Sociedade das Nações

Ainda antes da assinatura dos tratados de paz, os aliados concluem o pacto da sociedade das Nações (Abril de 1919). O texto da criação deste organismo internacional foi incorporado como preâmbulo do tratado de Versalhes.

Com que finalidade é fundada a Sociedade das Nações (S.D.N.)?
Lê o seguinte texto:

“As Altas partes Contratantes, considerando que, para desenvolver a cooperação entre as nações e para garantir-lhes a paz e a segurança, importa: aceitar certas obrigações de não recorrer à guerra; manter abertas e francas relações internacionais fundadas na justiça e na honra (…), respeitar escrupulosamente todas as obrigações dos tratados (…); adoptam o presente pacto que institui a Sociedade das Nações.
(…) Art.º 8º – Os membros da Sociedade reconhecem que a manutenção da paz exige a redução dos armamentos nacionais, (…) Art.º 10º – Os membros da Sociedade obrigam-se a respeitar a manter contra toda a agressão exterior a integridade territorial e a independência política presente de todos os membros da Sociedade. (…) Artº 22º – As colónias e territórios que, em consequência da guerra, deixaram de estar sob a soberania dos estados que os governavam precedentemente, (…) passam para a tutela das nações mais adiantadas, na qualidade de mandatários da sociedade. (…) Art.º 23º – Os membros da Sociedade adoptarão as disposições necessárias para assegurar a liberdade das comunicações e de trânsito (…) esforçar-se-ão por tomar providências de carácter internacional para prevenir e combater as doenças (…).”

O Pacto da Sociedade das Nações (adaptado) in “Fins e Organização da Sociedade das Nações”

Como verificas, a S.D.N. propunha se garantir:

• A manutenção da paz e a independência política dos estados,
• A redução dos armamentos,
• A promoção das minorias nacionais e das populações indígenas.
• A cooperação social, cultural e financeira entre as nações.

Durante os vinte anos da sua duração (1919/1939), a S.D.N. viu-se muitas vezes impotente para impor as suas decisões. Apesar de constituída pela maioria dos países vencedores da Grande Guerra e, mais tarde, pela Alemanha e pela U.R.S.S., o seu poder e âmbito de actuação foram limitados por:

• Divergências entre a França e a Inglaterra quanto ao cumprimento integral do tratado de Versalhes pela Alemanha (por questões económicas e de segurança, a França assumia uma posição intransigente);
• Ausência dos Estados Unidos, em virtude de o Senado americano discordar da dureza do tratado de Versalhes e, em particular, da participação do país nesse organismo internacional ( só em 1921, conclui uma paz separada com a Alemanha).

Desta forma, a aplicação e o controlo dos tratados de paz pela S.D.N. tornou-se bastante difícil. Ao longo da década de 1930, a sua acção no campo político revelava-se cada vez mais ineficaz – a questão do desarmamento e a resolução de conflitos internacionais ficam sempre em suspenso. Apenas as iniciativas no domínio social e técnico obtêm resultados positivos.
Assim, o grande objectivo da S.D.N. – garantir a paz entre as nações – não se chega a cumprir. Os golpes de força vulgarizam-se até que em 1939 eclode um novo conflito mundial.

As consequências da Primeira Guerra Mundial

A Europa, que foi o palco dos confrontos da guerra, ficou profundamente devastada em quase todos os aspectos da sua vida. A crise que se instalou depois desta guerra tornou os anos subsequentes, muito penosos, de tal modo que, em todos os domínios da vida, se fizeram sentir os seus efeitos.

A nível demográfico, numerosos mortos e feridos, entre civis e militares eram a maior evidência da guerra. No quadro que se segue são apresentados alguns dados das percas militares de alguns países beligerantes desta guerra.

A nível social, as condições de vida foram agravadas pela grande crise económica provocada pela inflação. As moedas de quase todos os países europeus perderam o seu peso, o que se reflectiu no agravamento das condições de vida da classe operária. Esta situação levou à emergência de partidos socialistas com tendência de defender os interesses da classe operária, tal acontecera na Rússia, onde o partido bolchivique tinha dado, em 1917, o poder aos operários.

No fim da guerra, o mapa político europeu foi completamente alterado. Os tratados de paz, firmados pelos vencedores provocaram o desenvolvimento dos impérios centrais que deram lugar a novos países independentes ou então, a perca de parte dos seus antigos territórios a favor dos vencedores.

O império alemão perdeu a região de Alsácia – Lorena e a região da Prússia Oriental. O império Austro – Húngaro deu lugar à Checoslováquia, Áustria. Hungria, Jugoslávia e à Roménia. O império Otomano deu lugar, na Europa, ao surgimento da Turquia e de outros países no Médio Oriente. O império russo, após a revolução socialista de Outubro, deu lugar ao surgimento da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

A nível económico, as despesas militares provocadas pela guerra foram enormes, fábricas, indústrias complexos agro-pecuários inteiros foram destruídos, o que levou a Europa, a perder parte considerável dos seus mercados , que foram rapidamente tomados pelos EUA.

Depois desta guerra, os EUA, que eram uma potência sem grande expressão mundial, passaram de devedores a credores das potências europeias. No quadro abaixo são apresentadas as despesas militares decorrentes da I Guerra Mundial.

O significado da I Guerra Mundial

Conforme vimos nos temas anteriores ligados ao Imperialismo, o mundo capitalista estava no seu apogeu. Esse apogeu trazia consigo vários problemas ligados às contradições fundamentais do Capitalismo – o proletariado vivendo numa grande miséria sustentava a abundância da burguesia numa altura em que se verificava a crise da super – produção, a constante busca de mercados enfim, haviam vários problemas sociais e económicos. Quer dizer que o mundo capitalista entra numa profunda crise e a IGM representou um marco importante do início dessa crise.

Até se atingir a fase imperialista a Europa estava à frente no desenvolvimento capitalista, mas a sua hegemonia vai terminar com a realização da IGM, uma vez que ela foi o palco principal da guerra e, os principais países envolvidos eram também da Europa, o que implicou de sua parte grandes investimentos..

Na verdade, é a Europa quem mais sofria pela pressão  operária devido ao agravamento dos problemas sociais e económicos. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*