Proposta de periodização da História de Moçambique

Para uma melhor compreensão da História de Moçambique, apresenta-se em seguida uma proposta de periodização.

A História de Moçambique é normalmente dividida em 6 períodos com características distintas.

Tempo  Nome do período  Características do período  
          Até aos anos 200/300 n.e.            Período da comunidade primitiva  – Sociedade sem exploração e sem classes;
– praticava-se a caça, a recoleção e a pesca;  
-o modo de vida era nómada;
– o trabalho estava dividido por idade e por sexo;
– a divisão da produção era feita por igual;
– os instrumentos de trabalho eram muito rudimentares;
– exemplo de comunidade: Khoisan.
      Desde 200/300 até ao ano 800      Período dos povos de língua bantu  – comunidades de agricultores e pastores;
– eram sedentários;
– dominavam a tecnologia do ferro;
– grande grupo de povos unidos pela mesma língua bantu.
                  Desde 800 até 1890                 
Período da penetração mercantil asiática e europeia  
-os árabes chegaram no século IX e instalaram-se em Moçambique, sobretudo no litoral;
– o seu objectivo era promover o comércio;
– no século XII chegam a Moçambique asiáticos com objectivos também comerciais;
– há relatos e depoimentos de Buzurg Ibn Sharhiyar (marinheiro persa) e de Al-Masudi (viajante muçulmano) onde se afirma que há um activo comércio com as “terras de Sofala”;
– no século XV foram iniciados contactos com os mercadores europeus, mais especificamente, com os portugueses.  
                                   




Desde 1890 até 1962  
                                   





Período da agressão imperialista  
De 1890 a 1930 – ocupação e exploração económica:
– campanhas de pacificação em todo o território de Moçambique, resultante das medidas tomadas na Conferência de Berlim;
– ocupação militar por parte de Portugal e a montagem do Estado (aparelho do Estado colonial);
– criação de modelos de exploração económica do território moçambicano;
– Centro e Norte de Moçambique são concessionados a companhias majestáticas e arrendatárias para a sua administração, bem como para a exploração dos seus recursos humanos e naturais; estabelecimento dos acordos com a Rodésia do Sul e a Africa do Sul para exportação da mão-de-obra para as minas e a construção de infraestruturas ferro portuárias em Lourenço Marques e na Beira.
De 1930 a 1962 – período colonial e fascismo:
– Portugal esforça-se por estabelecer nas suas colónias a burguesia portuguesa;
– começa o processo da eliminação dos direitos soberanos das companhias majestáticas;
– a Companhia de Moçambique cessa os seus direitos político -administrativos sobre Manica e Sofala em 1942;
-os objectivos da metrópole eram pôr a economia moçambicana ao serviço do Estado Novo (regime fascista português).    
                           




Desde 1962 até 1975  
                           




Período da luta de libertação nacional  
– surgimento de uma frente única de reivindicação pela emancipação de Moçambique, a fundação da Frente de Libertação de Moçambique, que resulta da fusão entre a MANU, UDENAMO e UNAMI;
– Setembro de 1964, início da luta armada de libertação nacional e dela surgiram as zonas libertadas, as primeiras formas de administração da FRELIMO em Moçambique;
– a política económica portuguesa de portas abertas, cujo objetivo é internacionalizar a guerra em Moçambique;
– continuou-se com os planos de fomento;
– em 25 de Abril de 1974 dá-se o golpe de Estado em Portugal e uma viragem a favor da descolonização da África portuguesa;
– assinatura dos acordos de Lusaka que marcam o fim do sistema colonial em Moçambique. É estabelecido o governo de transi ção;
– em 25 de Junho é proclamada a Independência Nacional.  



Desde 1962 até 1975  



Período da Republica
De 1975 a 1994: – formação do Estado moçambicano, de modelo socialista, orientado por uma economia centralizada, dirigida pelo Estado;
– são elaborados vários planos económicos: PEC, PPI, PRE, PRES; – guerra civil;
– é elaborada a Constituição de 1990; — fim da guerra civil com a assinatura dos Acordos de Roma. Desde 1975 até os nossos dias Período da República De 1994 aos nossos dias: – eleições livres e democráticas;
– implantação de uma democracia parlamentar;
– implementação da economia livre.  

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*